Caminho de Santiago

Os Caminhos de Santiago são os percursos dos peregrinos que afluem a Santiago de Compostela desde o século IX para venerar as relíquias do apóstolo Santiago Maior, cujo suposto sepulcro se encontra na catedral de Santiago de Compostela. A peregrinação foi uma das mais concorridas da Europa medieval, cuja importância só era superada pela Via Francigena (com destino a Roma) e Jerusalém, sendo concedida indulgência plena a quem a fizesse.

Depois de vários séculos relativamente esquecida, desde os anos 1980 que a popularidade da peregrinação tem crescido substancialmente, embora grande parte das pessoas que fazem o Caminho de Santiago — nome pelo qual é também conhecida a peregrinação — atualmente não o façam por motivos religiosos. O Caminho de Santiago tornou-se um itinerário espiritual e cultural de primeira ordem, que é percorrido por dezenas ou centenas de milhares de pessoas todos os anos. O Caminho de Santiago foi declarado Primeiro Itinerário Cultural Europeu em 1987 e Património da Humanidade (na Espanha em 1993 e na França em 1998).

Os Caminhos de Santiago espalham-se por toda a Europa e vão entroncar nos caminhos espanhóis. O Caminho de Santiago é geralmente feito a pé, mas também pode ser feito de bicicleta, a cavalo, ou até de burro.

Os peregrinos têm como símbolo uma vieira, a venera, cujas origens se atribuem aos povos ancestrais que antes do cristianismo peregrinavam a Finisterra, durante muitos séculos considerado o local mais ocidental do mundo conhecido e, como tal, o fim do mundo.

Resolução Alternativa de LitígiosPolítica de privacidadePolítica de cookiesTermos e condições 2022 Em caso de litígio clique aqui aqui.